Estranhos que visitaram

sábado, 29 de outubro de 2011

Eu te amo



Começou mesmo quando as flores realmente apareceram no caminho, eu pegava flores para cheirar e não havia perfume. Era tudo mentira. Eu sonhava em ver um amor através de filmagens feitas por uma super 8. Tá bem... confesso: sonhei tanto que terminei sozinha. Como terminei sozinha se eles dizem que comecei a viver agora? Meu medo é que os anos passem e eu nunca comece a viver mesmo.

Numa cidade grande as chances de encontrar aquela pessoa é no mínimo difícil, mas eu tenho uma grande ajuda divinal (prefiro acreditar que é divinal), me ajuda tanto que eu, quando menos espero, te vejo lá... parado, todo você, todo lindo. Mas olha só a novidade: você não pode ser meu. Porque nosso amor foi construído com bases duvidosas, são cartas, taças, aquelas torres que desmoronam em câmera lenta.

Normalmente você me causava acessos de loucura, mas eu te amo tanto, mas tanto que eu sempre voltava atrás. Porque dói, me dá raiva. Por que você é assim? Passam dias, meses, anos e eu não consigo esquecer teu sorriso, da tua pele quente, da maneira mais carinhosa que um homem já me tratou. Apesar de tudo, eu sinto falta da tua delicadeza natural. Era lindo de ser ver. Tanta coisa que só a gente sabe, né? Os beijos mais lindos que eu já dei na minha vida foram entregues a você. Meu coração pulava tanto que eu tinha que respirar longe do telefone pra você não escutar.

Te beijava com a certeza de que era a última vez, talvez isso deixava cada momento mais intenso. Eu sei que eu preciso acabar com esse sonho antigo, que preciso seguir em frente e me achar num futuro mais certo. Mas é que você não deixa, a gente se trai. Rodamos tanto e nos perdemos. A gente não se permitiu, eu não vou dizer que me arrependo de não ter feito nada. Eu fiz tudo que estava ao meu alcance. Talvez eu devesse ter perguntado se você não queria tentar. Tentar sério.

Eu preciso me acostumar a sua falta. É como se você tivesse morrido. Eu não posso falar com você, não posso falar de você, não posso te ligar, não posso te encontrar. Fico dependendo do acaso e isso é como ganhar na loteria. Eu queria mesmo era perder e poder te ver constantemente, queria te ter ao meu lado pra me fazer rir muito. Pra sentir teu cheiro e ganhar tanto carinho. Presta atenção: você será para sempre o amor da minha vida. Eu não preciso conhecer vários caras, eu não preciso amadurecer mais, eu preciso de você de volta. Volta?

3 comentários:

Priscila Oliveira disse...

Own Thay! Adorei esse texto! É um dos meus preferidos agora! Escreva sempre! Vc tem o dom das palavras...
Te amo!

Priscila Oliveira disse...

Own Thay! Adorei esse texto! É um dos meus preferidos agora! Escreva sempre! Vc tem o dom das palavras...
Te amo!

Amanda Claudino disse...

O conto é apaixonante mesmo! A forma flúida como você escreve dá a impressão de que estou pensando tudo aquilo junto com você. Você me jogou dentro da história de uma forma tão natural que cheguei a sentir tudo aquilo que a personagem sentia. Gostei muito.